Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estamos Sozinhos?

Este é o meu blogue onde procuro dar a conhecer histórias relacionadas com o paranormal e conspirações. Uma espécie de X-files pessoal que agora partilho com o mundo. Espero que gostem e comentem sempre que queiram.

Será o pecado uma invenção das religiões?

por Morningstar, em 13.02.18

Será o pecado é uma invenção das religiões para controlar as pessoas pelo medo e a culpa?

people-2599550_640.jpg

Já algum tempo atrás falei de 3 formas que a religião tem para controlar as pessoas, no post "Religião, um negócio que vende mais que a droga", sendo uma delas o pecado.

Hoje, li o artigo de Marcos de Aguiar Villas-Bôas, "O pecado é uma invenção das religiões", em que explica como o pecado é um erro de interpretação bíblico.

Segundo o espiritualista, o que as religiões interpretam como pecado, é na verdade a consequência das ações. Toda a ação resulta em uma consequência.

Isso é o que a Bíblia ensina, segundo ele. O que é entendido como sendo castigo na Bíblia, é na verdade a consequência das nossas ações, que podem ser sentidas nesta vida, na espiritual ou na reencarnação. 

O pecado é nada mais do que o erro. O que é ensinado é que não se deve errar para evitar a consequência, mas, não existe a condenação por causa do erro.

Uma das coisas que ele também alertou, e que eu concordo em absoluto, é para o fato de não existir intermediário entre nós e Deus. Se queremos aliviar o nossa consciência, temos a capacidade de nos conectarmos com Deus, sem necessitar de interceder a outros seres espirituais.

Na minha opinião, concordo em pleno que o pecado tem sido uma forma de manipular as pessoas e de mantê-las ligadas a uma ideologia.

No que toca ao lado espiritual, não posso confirmar nada, pois tratasse de uma questão de fé pessoal de cada um em acreditar em algo.

Quem quer acreditar na consequência de reencarnar para aprender com os erros desta vida, acredita. Quem quer acreditar que pode ser perdoado para evitar a condenação, acredita.

Neste campo, deve ser uma revelação de Deus para a pessoa e não uma doutrinação por meio de livros e de palestras. A própria pessoa deve questionar e procurar por si mesma ouvir a Deus.

Sem questionar, jamais alguém poderá chegar à verdade. Porque, no meio de tanta filosofia e doutrinas, ficamos sem saber quem tem razão ou deixa de ter.

Desta forma, cabe a cada um pesquisar, questionar, pensar e decidir no que acreditar, sem se sentir precionado por nenhuma religião.

A História de Deus com Morgan Freeman - Documentário Completo

por Morningstar, em 09.02.18

Este documentério é uma abordagem para perceber quem é Deus nas várias religiões do mundo.

Com Morgam Freeman no papel de investigador, são visitadas as vários locais no mundo, desde aqueles que tiveram um marco histórico na antiguidade, até àqueles que atualmente têm importancia na nossa sociedade.

Um documentário imparcial e que vale a pena ver todo.

 

Casal mata amigo para lhe beber o sangue

por Morningstar, em 06.02.18

people-2599550_640.jpg

As crenças podem ser deveras más para a mente humana. Prova disso é o casal alemão Daniel e Manuel Duda que mataram o amigo para lhe beber o sangue. Para além de confessarem o crime, o casal declarou que se tratava de uma forma de sacrifício e oferenda a Satanás.

Ficou provado em tribunal que ambos participavam de festas satânicas e que chegavam a dormir em cemitérios.

Atualmente a mulher já se encontra em liberdade e recebe tratamento psiquiátrico. O homem permanece preso, mas, poderá vir a ser liberto. O seu maior desejo é constituir família e reencontrar a mãe, mas, parece que a mãe prefere ver o filho com a segurança das grades.

 

 

Criança de 5 anos era maltratada em ritual vodu

por Morningstar, em 06.02.18

Existem insólito que pensamos que poderiam apenas existir nos filmes, mas, a verdade é que ainda em pleno século XXI encontramos cenas que fazem pensar como é possível acontecerem estas coisas na nossa sociedade e em países considerados desenvolvidos.

Este é o caso de uma menina de 5 anos que estava a ser tratada de possessões malignas devido ao seu mau comportamento. Eram realizadas cerimónias vodu para expulsar o mal do seu corpo, em que consistia na aplicação de cortes no corpo e aplicação de óleos.

 

 

Histórias da minha vida - No tempo em que eu ia às igrejas - parte 1

por Morningstar, em 19.01.18

people-2599550_640.jpg

Referi em alguns textos anteriores que a minha mãe nuca foi uma pessoa de religião fixa, sempre saltou de galho para galho. Isso fez com que eu ficasse a conhecer um pouco melhor cada uma delas. As religiões a que me refiro são todas aquelas que giram em torno do cristianismo e do esoterismo.

Em todas em que passamos, ouvi a falar sempre de uma situação delicada em casa, ou no trabalho, etc. Na altura que era mais novo e não pensava muito bem nas coisas, por falta de conhecimento, engolia tudo aquilo que diziam, tal como a minha mãe. Hoje, qualquer das situações que são reportadas, temos consciência que fazem parte do nosso dia-a-dia e que resolvem-se indo aos respetivos lugares de resolução e não com uma ida à igreja, ou à bruxa.

 

Religião, um negócio que vende mais que droga

por Morningstar, em 03.01.18

pexels-photo-257037.jpeg

Eu começo este texto com uma afirmação muito fácil de perceber: a religião é um negócio melhor do que o da droga! E faz todo o sentido esta afirmação, porque, a droga não é legal e a religião é. Para além do mais, tem inúmeros benefícios fiscais!

Repare que estamos num país em que vender droga, mesmo que seja leve e numa quantidade aparentemente insignificativa, há leis pesadas para quem vende e para quem consome. Por outro lado, a religião tem portas abertas para tudo e mais alguma coisa.

Não sei se já tiveram a oportunidade de ver a Lei da Liberdade Religiosa, mas, esta tem mais direitos que seres humanos homossexuais.

E porque é que isso acontece? Porque gera milhões e milhões de euros. A IURD em Portugal tem cerca de 30M€ declarados. Na visita do papa, havia parques de campismo a vender lugares para uma tenda de 1 pessoa a 1000€ por noite. Lucro puro.

Porque é que isso acontece? Porque é que as pessoas se vendem à ideia da religião?

Por 3 motivos: culpa, medo e ganância. Por estes motivos, a religião tem manipulado as pessoas e lucrado com isso. Como é que isto funciona na prática?

1.    Culpa

A culpa é um dos argumentos muito usados. Eles exploram a fragilidade de uma pessoa em relação a um sentimento ou uma ação, para introduzir a culpa como causa ou consequência de algo. Isso acontece quando a pessoa está passando por algum tipo de problema de saúde, em que ela pecou e como consequência está doente; ou que o marido saio de casa para ir com uma amante porque a esposa não estava a fazer as coisas bem-feitas com o marido, e vice-versa; ou porque o filho foi para as drogas porque não foram bons pais; etc.

Perante estes cenários, é fácil manipular a pessoa fragilizada com o sentimento. A partir daqui é só orientar a pessoa para aquilo que eles querem que se faça, desde a comparecer todos os dias na igreja a entregar quantias exorbitantes de dinheiro.

2.    Medo

O medo é das armas mais antigas que trás vantagem sobre as vítimas. O medo mais usado na Religião é o castigo. O melhor exemplo que todos nós conhecemos é a ida para o inferno. Quem não for à igreja e seguir o que lhes é ensinado vai para o inferno.

Falar que vai para o inferno é apenas uma parte do cenário apresentado. Há que pintar o quadro de uma forma muito pesada e que mexa com a imaginação da pessoa.

Lembro-me de algumas pessoas andarem a partilhar um clip de áudio de uns cientistas russo, salvo erro, que gravavam o som de crateras vulcânicas. O som que se ouvia era muito idêntico a milhões pessoas a gritar por socorro. Isso mexeu muito com as pessoas mais sensíveis à questão e fez com que muitas se tornassem fiéis aguerridos da causa da sua religião.

Alguns deles entregaram todos os seus pertences em troca de um lugar no céu.

3.    Ganância

Este é o velho conto do bandido que vende banha de cobra. A promessa de sucesso, riquezas ou uma aparência na sociedade, é o outro motivo que leva a tantas pessoas, sejam elas instruídas ou não, ricas ou pobres, a buscar a solução na religião.

Quem nunca sonhou em ter um carro topo de gama, ser rico, ter uma mansão, entre outras coisas?

Essa é a ideia que a religião vende. A religião vende sonhos às pessoas, quer elas tenham capacidade ou não de os concretizar. Ela não vende sonhos adaptados à realidade de cada pessoa, mas, vende sonhos ligados à luxuria, à exuberância, mostrando para elas o estilo de vida que os milionários têm, que as pessoas bem-sucedidas possuem, que o Jet 7 mostra na TV.

Então, quando a pessoa está iludida com estes falsos sonhos, dizer o que devem de fazer é mais fácil do que dar ordens a um cão treinado. A ganância toma conta do desejo e o desejo segue cego e tolo atrás das diretrizes que lhe entregam. Dar um salário para se tornar multimilionário, é um negócio que nem os chineses conseguem fazer.

Se está a pensar empreender, então a religião é um dos melhores empreendimentos e que tem crescido ao longo dos anos.

O desespero social em busca de valores e algo que faça sentido para a vida, é a porta de entrada para a religião.

Recordo as palavras de Jesus que (não desta forma) ensinou que o mais importante na vida era um relacionamento com Deus e entre as pessoas. Algo que passa sempre ao lado da religião, porque não lhes convém.

Meu amigo, não tenham medo da religião, a única capacidade de mal que ela lhe faz é aquele que você lhe permite. Não se sinta culpado de nada! Errar é humano e uma oportunidade para melhorar e tornar os laços de relações mais fortes. Não seja ganancioso! Procure ter aquilo que precisa e aquilo que gosta, mediante as suas possibilidades.

Desta forma, não precisa da religião para encontrar a felicidade e a liberdade que tanto quer.

O Segredo dos Deuses… ou demónios da IURD

por Morningstar, em 13.12.17

o-segredo-dos-deuses-tvi.jpg

Confesso que apesar de estar profundamente revoltado com toda a situação que envolve a IURD e a adoção de crianças, não me espanta muito em ouvir estas notícias.

Não me espanta, porque, não espero muito de pessoas que enriquecem à custa dos problemas das outras pessoas, com promessas de milagres e mudanças de vidas. Basta olhar para a TV Record que transmite todas as noites os programas ridículos com testemunhos comprados e com mensageiros da luz que têm poder para derrotar as trevas na vida das pessoas.

Acredito que a influência da IURD não se limita apenas às adopções. A facilidade com que adquirem espaços e terrenos, muitos deles propriedades de autarquias e do Estado, dá a entender que poderá existir a influência sobre estes organismos, ou seja, manipulação política.

As lavagens de dinheiro que tanta tinta fazem correr nos jornais e nos tribunais, mostra o poder dessa organização. Como é que com tanta investigação e tantos processos ainda não tenha existido uma prisão dos altos dirigentes.

Porque é que eles controlam tantas pessoas de forma a conseguir se mexer na sociedade, na justiça e na economia dessa forma?

Não, não é o poder de Deus. É o poder da confissão de muitos membros que ocupam lugares estratégicos e que, dessa forma, abrem portas para que a IURD tenham condições de influenciar as coisas a seu favor.

Só não vê quem não quer ver.

Mas, porque motivo eles continuam a crescer? Porque a base de marketing da instituição deles baseia-se na História de Perseguição do Cristianismo. Eles colocam-se no papel de mártires e isso dá poder à sua mensagem destrutiva.

Eles não são escolhidos por ninguém, eles não são divinos, nem representam Deus na Terra. Eles apenas têm uma escola de marketing e vendas como nunca vi na vida. Se não tivessem, eles não estavam representados em mais países que o MacDonalds.

O que é preciso para travar esta ameaça social?

É preciso que haja mão firme na justiça, que a comunicação social exponha sem medo as ações criminosas e que as pessoas sejam alertadas para as mentiras e que abram os olhos para o engodo que estes lhes apresentam.

Ali não há Deus, apenas demónios.

3 Motivos porque o Milagre de Fátima é uma manifestção Extraterrestre

por Morningstar, em 15.10.17

fatima-521379_1280.jpg

O Pe. Gonçalo Portocarrero teve uma opinião publicada no site observador sobre o Milagre de Fátima em que deu algumas explicações cientificas para o ocorrido (link:http://observador.pt/opiniao/o-milagre-do-sol-que-nao-dancou/)

Penso que quando um clérigo recua na teoria teológica de que um milagre é uma manifestação dos poderes divinos, não resta muito para acreditar e mais nada sobre o tema que aborda.

Não acredito que Fátima tenha sido um fenómeno espiritual e muito menos de fenómenos naturais que pudessem ter sido repetidos duas vezes da mesma forma: uma aos pastorinhos e outro a milhares de pessoas e em diversas localidades. Porque se fosse um fenómeno natural daquela localidade e adjacentes, logo teríamos repetições do mesmo fenómeno mais antigas e recentes.

Também não acredito que tenha sido sobrenatural, de ordem espiritual, uma manifestação de mensageiros divinos, porque, se tal fosse, não haveria sinais evidentes de uso de tecnologia e as mensagens transmitidas teriam um impacto mais espiritual e menos de contextos afirmação política de uma instituição.

Não quero tecer nenhum comentário relativamente às mensagens, pois estas devem ser reduzidas ao que realmente são: dogmas religiosos.

Quero dirigir-me aos relatos das aparições e como são descritos. Vamos por pontos:

  • A figura apresentada tinha um aspeto translúcido: ocorre-me apenas uma justificação para esta ocorrência, que é a projeção de um holograma. A projeção de um holograma consiste na apresentação de uma imagem de forma translúcida é apresentada sob a atuação de luz.
  • A nuvem que envolvia a imagem: facilmente explicável com a deslocação do aparelho de projeção holográfica, que devido à sua deslocação criava o efeito de nuvem pela humidade que estaria no ar e pelo pó que levantava na aproximação do solo.
  • A luz que descia em direção ao videntes: é claramente uma manifestação de um OVNI, pois, a sua deslocação era feita do céu para o solo e vice versa. Uma manifestação espiritual não necessitaria de se deslocar dessa forma, pois, teria capacidade para aparecer e desaparecer. Neste caso, estava a ser usado um meio de transporte do qual saia o projetor holográfico, que trazia as devidas mensagens de paz.

Apesar de serem só 3 explicações, estas são muito fortes para se interpretar como uma manifestação de Seres Extraterrestres e não divinos visível naquelas localidades. Não há outra forma de explicação que me seja convincente.

O Milagre de Fátima é o maior e mais importante contacto com seres interplanetários da História Contemporânea de Portugal, camuflado por uma falsa crença religiosa.

Dentro da mente de um jahidista

por Morningstar, em 01.09.17

"É o objectivo da vida deles e estão prestes a cumpri-lo. Para eles é como uma festa. Às vezes passam um ano a preparar algo que consideram muito importante. Eles não estão relaxados, estão activos." Ángel Gómez, professor de Psicologia Social na ONU, explica ao “El País” o comportamento dos cinco terroristas, que, antes de atacarem Cambrils, perto de Barcelona, pararam quatro vezes em postos de gasolina para comprar as últimas coisas de que precisavam.

Leia mais em: http://rr.sapo.pt/noticia/91953/viagem_ao_interior_da_mente_de_um_jihadista?utm_medium=rss 

Deuses de outros mundos: o culto a discos voadores e extraterrestres

por Morningstar, em 01.08.17

Design sem nome-4.png

O presente trabalho tem por finalidade estudar a dimensão religiosa da crença em discos voadores e extraterrestres no Brasil. Analisando alguns grupos de contatados, formados por homens e mulheres que dizem receber mensagens de ETs, destacamos quem são, o que pensam e o que anunciam seus adeptos a respeito do significado da vida, da origem do mundo e do futuro da humanidade. Inicialmente, mostramos como o mundo se familiarizou com a idéia de que habitantes de outros planetas estariam visitando a Terra em espaçonaves avançadas. Depois, apresentamos os elementos que contribuíram para o aparecimento dos grupos de contatados nos Estados Unidos e no Brasil, seguindo-se de exemplos em ambos os contextos. A rede de simpatizantes e leitores formada em torno do contatado Jan Val Ellam, em São Paulo, é então submetida a uma análise, destacando-se sua forma de organização, ferramentas de comunicação e o conteúdo religioso das mensagens recebidas por ele. Por fim, são discutidos os possíveis fatores que poderiam explicar o sucesso de alguns desses grupos, além do modo como se relacionam com a ciência e a religião.

 

Autor: Veronese, Michelle Marinho

Dissertação: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/1993