Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estamos Sozinhos?

Este é o meu blogue onde procuro dar a conhecer histórias relacionadas com o paranormal e conspirações. Uma espécie de X-files pessoal que agora partilho com o mundo. Espero que gostem e comentem sempre que queiram.

Será o pecado uma invenção das religiões?

por Morningstar, em 13.02.18

Será o pecado é uma invenção das religiões para controlar as pessoas pelo medo e a culpa?

people-2599550_640.jpg

Já algum tempo atrás falei de 3 formas que a religião tem para controlar as pessoas, no post "Religião, um negócio que vende mais que a droga", sendo uma delas o pecado.

Hoje, li o artigo de Marcos de Aguiar Villas-Bôas, "O pecado é uma invenção das religiões", em que explica como o pecado é um erro de interpretação bíblico.

Segundo o espiritualista, o que as religiões interpretam como pecado, é na verdade a consequência das ações. Toda a ação resulta em uma consequência.

Isso é o que a Bíblia ensina, segundo ele. O que é entendido como sendo castigo na Bíblia, é na verdade a consequência das nossas ações, que podem ser sentidas nesta vida, na espiritual ou na reencarnação. 

O pecado é nada mais do que o erro. O que é ensinado é que não se deve errar para evitar a consequência, mas, não existe a condenação por causa do erro.

Uma das coisas que ele também alertou, e que eu concordo em absoluto, é para o fato de não existir intermediário entre nós e Deus. Se queremos aliviar o nossa consciência, temos a capacidade de nos conectarmos com Deus, sem necessitar de interceder a outros seres espirituais.

Na minha opinião, concordo em pleno que o pecado tem sido uma forma de manipular as pessoas e de mantê-las ligadas a uma ideologia.

No que toca ao lado espiritual, não posso confirmar nada, pois tratasse de uma questão de fé pessoal de cada um em acreditar em algo.

Quem quer acreditar na consequência de reencarnar para aprender com os erros desta vida, acredita. Quem quer acreditar que pode ser perdoado para evitar a condenação, acredita.

Neste campo, deve ser uma revelação de Deus para a pessoa e não uma doutrinação por meio de livros e de palestras. A própria pessoa deve questionar e procurar por si mesma ouvir a Deus.

Sem questionar, jamais alguém poderá chegar à verdade. Porque, no meio de tanta filosofia e doutrinas, ficamos sem saber quem tem razão ou deixa de ter.

Desta forma, cabe a cada um pesquisar, questionar, pensar e decidir no que acreditar, sem se sentir precionado por nenhuma religião.